Sempre me chamou a atenção o momento em que Jesus olhou ao redor e observou que as pessoas eram como ovelhas sem pastor. Assim que senti o chamado para missões, escolhi uma carreira que me possibilitasse pregar a Palavra e ajudar comunidades carentes. Minha primeira experiência no campo transcultural foi num país em guerra, sob regime comunista. Nessa época não era permitida a entrada nem a permanência de missionários. Minha esposa e eu entramos como profissionais e tivemos a oportunidade de apoiar igrejas locais e socorrer diversas vilas na área de saúde pública.

Desde então temos trabalhado em outros países em conflito ou pós-conflito, nas áreas de emergência, construção civil e saúde, levando a Palavra e o socorro. Há pouco tempo conversava com o senhor Ke, budista, no interior do país onde temos auxiliado famílias a cavarem poços de água. Olhávamos um grande buraco, que tinha 30 centímetros de água suja, e ele contava que muitos vinham ali buscar água para beber, para cozinhar etc. Era a única saída durante o período da seca. Perguntei se o novo poço seria útil e ele respondeu que sim. Eles já tinham manilhas de concreto e bomba e, agora, teriam uma água mais limpa, mesmo quando as chuvas viessem e inundassem os campos de arroz.
Esse pequeno país, outrora um grande império, hoje é considerado o segundo mais pobre da Ásia. Menos de 1% da população é cristã e não há liberdade religiosa. O que nos move é a esperança de que a verdadeira luz atinja os corações por meio da ação da igreja.
Vemos cada vez mais oportunidades para missionários biocupacionais — tanto em países com restrição ao evangelho como naqueles em situação de calamidade. Além da facilidade de acesso, os biocupacionais prestam grande apoio aos outros missionários.

Por Carlos Lemos, casado com Liliana, é engenheiro e trabalha no Sudeste da Ásia.

6 Comments

  1. Rodolfo Zacari

    Estou no 4ano de engenharia civil, no começo eu me perguntava como eu vou ajudar com a mibha profissão na área missionária, hoje ajudo um missionário da minha igreja, estou construindo uma chacara com um dinheiro que ele tinha para alugarmos e ele tenha uma ajuda no sustento, fico feliz em poder ajudar, Glórias a Deus.

    • Redação Radar

      Ola Rodolfo que belo testemunho.
      O Senhor nos usa como somos, e perceber que nossa identidade profissional foi Ele que nos direcionou para a Sua gloria é lindo :)
      Obrigada por compartilhar.

  2. Lucas Alves Farias

    Boa Noite! Tenho 22 anos, estou no 6º período de Engenharia Mecânica e achei maravilhoso o texto acima. Reconheço que Deus abriu a porta pra mim na faculdade e quero ser útil para o Reino através do meu curso, até então não tinha a mínima noção de como conciliar a minha profissão futura com o chamado missionário , mas, agora posso começar a sonhar e renovar a esperança no chamado que Deus tem pra mim. Muito obrigado e parabéns pelo conteúdo; Deus Abençoe :)

    • Redação Radar

      Ola Lucas, a Graça e a paz.
      Como é lindo ver o agir do Senhor, e de perceber que tudo que Ele tem nos dado e nos tem feito ser, é para gloria Dele. Que bom que você tem se identificado dentro de missões, na área do biocupacional.
      Que o Senhor continue conduzindo seus passos
      :)

  3. Boa Tarde! Quero parabenizar a toda equipe pelo excelente trabalho, ótimas matérias, excelentes reportagens, uma ótima estrutura e profissionais de boa formação empenhados. Deus abençoe grandemente essa equipe. Muito Obrigado :)

    • Muito obrigada Lucas, agradecemos o elogio. E te convidamos para nos ajudar a fazer um Radar ainda melhor em 2017. Mande suas experiências com missões, evangelismo e sugestões de temas. Feliz Natal com o melhor de Cristo para sua vida.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.