Viajantes? Nômades? Faladores de idiomas? Aqueles que comem alimentos estranhos com as mãos ou com palitos? Aqueles que dividem o mesmo prato com várias crianças? Que estudam sozinhos em casa ou em uma cabana coberta de palhas? Aqueles que são enviados para uma escola para filhos de missionários em país distante de seus pais? Aqueles que estudam em escolas onde a professora tem autoridade para bater neles?

Quem são estes que recebem tantos treinamentos?

Filhos de missionários também são treinados para saberem como agir na hora dos terremotos, da erupção de um vulcão, na hora de um forte tufão, na hora das enchentes ou na hora da explosão de uma bomba. Os filhos de missionários são aqueles que são treinados a responderem àqueles que lhe perguntam: ‘O que os seus pais estão fazendo aqui em um país muçulmano e hindu?’ São aqueles que são treinados e discipulados a fazerem discípulos para Cristo. São treinados para falarem que Jesus Cristo é Deus e que é mais poderoso do que Ganesh, Buda, Ala etc. São aqueles treinados para ficarem também em silencio em determinados lugares e circunstancias.

Quem são estes pequenos missionários?

Quem são estas crianças que partem de seus países ainda recém nascidos deixando os avós, tias e priminhos com seus corações partidos e, depois de 4 anos, retornam andando e falando uma língua desconhecida e atraindo a atenção de todos os familiares e amigos para ouvi-los? Outros partem quando são Juniores ou Adolescentes deixando para traz a escola, a turma de amigos, a igreja, a namoradinha (o) srrs e, depois de alguns anos, retornam falando uma língua indígena ou o árabe, mandarim, inglês, espanhol, persa, russo, etc. Eles estão sempre prontos a recomeçar, muitas vezes, levando apenas as duas malas permitidas pela empresa aérea. Eles deixam o seu país ou mudam para um novo campo missionário e deixam tudo para trás; seus quartos, brinquedos, amigos, costumes, suas histórias e começam novamente uma nova vida em uma nova cultura.

Quem são estes que conquistam amigos de todas as classes?

Eles fazem amigos em família simples que tem carência de tudo, mas que possuem um grande coração. Fazem amigos na escola para filhos de missionários, a qual cada um compartilhava sua cultura, comida, fotos do seu país, praticam esportes e aprendem idiomas diferentes. Amigos conquistados nas embaixadas ou na pequena igreja a qual eles viram seus pais iniciarem o trabalho, ou amigos conquistados nos projetos missionários os quais eles viram nascer.

Quem são estes que estão sempre prontos a enfrentar o sabor da nova comida?

‘Cuidado, a comida é doce’, ‘agora está muito apimentada’, ‘agora está crua’. ‘Cuidado, isto é carne de cachorro, não coma’, ‘estes são pequenos grilos fritos sao bons coma devagar’, ‘essa comida ‘é normal’ pode comer’, ‘esse doce é bom, não tem sal, pode comer’, ‘não coma este ovo, pois tem um pintinho cozido dentro’. Tudo isto e muito mais eles tem saboreado.

Quem são estes que precisam mudar tanto de roupa?

‘Agora, neste novo país, sua irmã não pode usar saia e nem blusa de alça e vai precisar cobrir a cabeça ao sair de casa, e você’. ‘Bem, agora, ela pode usar qualquer tipo de roupa, mas, aqui, ela não deve sair sozinha, principalmente de taxi, pois há muito caso de estupro – . ‘Neste país vocês vão precisar tirar o sapato para entrar nas casas, não se esqueça disso’. ‘Neste, é falta de educação bocejar em publico, mas no outro país o qual iremos você poderá arrotar após as refeições na frente das pessoas, isto quer dizer que tudo estava delicioso e que você comeu de tudo… os anfitriões ficarão felizes’.

Quem são estes que moram em diferentes lugares?

‘Aqui não poderemos morar em apartamento porque há muito terremoto e é perigoso, mas agora, neste país, teremos que morar em apartamentos porque as casas não tem segurança’. ‘Aqui a nossa casa será de palha porque não existem casas de tijolo’. ‘Neste país todos nós precisaremos deixar uma pequena sacola sempre pronta com primeiras emergências, pois os terremotos são freqüentes’. Estes e muitos outros tipos de conselhos e orientações os filhos de missionários sempre estarão ouvindo de acordo com o país em que estiverem.

Quem são estes filhos de missionários?

São os nossos heróis que sempre estão prontos para as mudanças e para as novas batalhas que terão em cada cultura e, desta forma, sempre estarão conquistando o seu próprio espaço. Eles têm aprendido que novas readaptações sempre vêm acompanhadas de perdas, dor, choro, saudades e novos aprendizados; mas que também a presença e a bênção do Senhor sempre estarão com eles fortalecendo e dando-lhes as vitórias.

Eles também têm aprendido a conviver com a rejeição e, às vezes, tem ouvido: ‘Você ainda não fala a minha língua’, ‘você é cristão e não adora os meus deuses’, ‘seu pai ensina outra religião’, ‘Você só joga futebol e aqui nós só jogamos basquete’, etc.

Mas estes pequenos heróis, não desistem; aprendem a nova língua, passam a jogar o novo esporte e até esquecem seu amado futebol. Esquecem dos seus cânticos, da sua própria comida e dos seus talheres. Aprendem tudo de novo para que possam também ser parte do novo grupo e da nova cultura.

Quem são estes heróis anônimos no campo missionário?

Na verdade, eles não escolheram estar no Ocidente ou Oriente, apenas SEGUIRAM. Seguiram sem pouco ou nada perguntar, apenas confiados de que o Deus que estava chamando os seus pais com certeza iria também cuidar deles e de tudo.

Filhos de missionários, vocês sempre poderão encontrá-los espalhados pelo mundo. Eles estão nas tribos, nas ilhas, nas montanhas, nos desertos e nas grandes e pequenas cidades. Outros já não estão mais com seus pais no campo missionário, mas continuam sendo filhos de missionários e hoje são médicos, advogados, professores, homens de negocio e pastores e missionários. Todos eles sempre terão uma história para contar, histórias tristes e alegres, mas sempre recheadas da graça e da presença do Senhor das nações.

Aos nossos pequenos heróis anônimos que nos seguem e que nos seguiram e que fazem parte da nossa história e do nosso chamado, nossa gratidão a Deus por suas vidas e que Deus os abençoe ricamente! Você pode orar por eles sempre que lembrar. Eles também precisam!”

 

Juscelandia Caldeira (Missionária da JMM-CBB nas Filipinas)

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.