Pastores, agências missionárias, músicos e vocacionados para a evangelização se reuniram em prol de um grande trabalho no Sertão nordestino.  O slogan “Por um Brasil Missionário” descreve com exatidão o que impulsiona o trabalho desenvolvido pelo Grupo Povos e Línguas desde sua fundação. O anseio por ver a Igreja Brasileira não somente motivada, mas completamente engajada com a causa missionária é um dos propulsores para o novo projeto que surge para impulsionar o avanço do Evangelho de Jesus no Sertão Nordestino, o Avança Sertão. A região é composta pelo Rio Grande do Norte, passa por Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Piauí, Ceará até a Bahia. Considerada como uma das regiões de menor Índice de Desenvolvimento Sócio-Econômico (IDH) e altas taxas de desigualdades sociais, a região sofre ainda com a seca e a fome.

Apesar de ser uma região que professa o cristianismo, muitos nem sequer já leram a Bíblia. Com olhos para essa realidade e tendo sua fundamentação em reflexões sobre como fazer a Igreja mais efetiva no campo de missões nacional, o Avança Sertão vem alavancar um momento positivo no processo de evangelização do Sertão, em contraste às estatísticas ruins e à crise vigente no Brasil: “Deus não tem pressa, mas sabemos que o tempo é agora. Não podemos perder esse ‘time’, como dizem, pois nunca no histórico da Igreja Brasileira houve um número tão gigantesco de conversões no Sertão como está acontecendo hoje”.

Em entrevista, o fundador e presidente do Grupo, Breno Vieitas fala sobre o projeto:

O que é o Avança Sertão?
Breno Vieitas: 
Numa fase anterior que o Povos e Línguas estava vivendo, percebemos que embora mobilizássemos, ainda sentíamos a necessidade de maior engajamento da Igreja. Temos agências prontas para servir, muitas igrejas interessadas em atuar em regiões onde o Evangelho ainda não avança, mas percebemos que faltava uma ponte. Embora o Povos e Línguas já seja uma ponte, precisamos criar um ambiente mais prático de atuação. E entendemos que essa ponte é o Avança Sertão. Portanto, resumindo numa frase o Avança Sertão é uma campanha de mobilização entre o Povos e Línguas, denominações parceiras, agências missionárias e músicos, com o objetivo de iniciar 150 projetos missionários nos próximos 5 anos no Sertão Nordestino.

O que impulsionou o Povos e Línguas a criar esse projeto e qual seu objetivo principal?
Breno Vieitas: 
É muito importante percebemos a missão primeiramente feita na nação, embora o Senhor nos diga para estarmos “tanto em Jerusalém, quanto nos confins da Terra”. Muitos pastores e igrejas não têm recursos financeiros para realizar um trabalho transcultural fora do Brasil, mas no Sertão isso se torna possível. E o coração das igrejas brasileiras, conforme temos visto positivamente, está inteiramente aberto com um envolvimento nesta região.

Como o projeto será desenvolvido?
Breno Vieitas: 
O A.S. será desenvolvido através das ferramentas do Povos e Línguas, na criação de documentários que promovam a justiça social do Sertão, falem sobre a exclusão social, através da mídia e comunicação, treinamento de pastores, tudo o que temos. Ou seja, utilizando as ferramentas para mobilizar e sinalizar que existem impactos evangelísticos no Sertão por meio de agências missionárias tais como Missão Juvep, Agência Missionária para Evangelização do Sertão – AMES, Ministério Livres, Água Viva, entre outros.  A ideia é realizarmos 15 impactos anuais, entre a primeira e segunda quinzena de janeiro e a segunda quinzena de julho. Para que em parceria com lideranças locais, iniciemos um processo de evangelização prioritariamente no Piauí, onde há um índice de menos de 4% de cristãos evangélicos. E também nas regiões mais pobres e com menos acesso do Sertão.

Quem são as pessoas e/ou grupos envolvidos no Projeto?
Breno Vieitas: 
As instituições, organizações missionárias envolvidas experientes na missão de evangelização do sertanejo, dos índios, dos quilombolas, outros povos minoritários que vivem lá. As igrejas denominacionais mais presentes, Batistas, Presbiterianas, Metodistas, Anglicanas e os músicos, Juliano Son, Marcos Almeida, Lorena Chaves, Nívea Soares, Paulo César Baruk, Ana Nóbrega, Marcela Taís, entre outros. Vale ressaltar que o programa para criar as condições de trabalho em equipe é todo organizado pela Associação de Missões Transculturais no Brasil -AMTB, instituição que regra todos os procedimentos das agências missionárias.

Como a Igreja brasileira pode contribuir?
Breno Vieitas: 
Enviando os membros de suas igrejas para os impactos, organizando-os em caravanas, com seus respectivos pastores e líderes, para que eles possam se familiarizar também com qualquer tipo de desafio. Pode ajudar tanto moralmente, quanto na evangelização, financeiramente na construção de poços artesianos, escolas, doação de alimentos mensais e levando sua liderança, edificando lideranças autóctones, ou seja, de origem da terra.

Quais as informações para contato?
Breno Vieitas: 
Acesse e leia o Portal povoselinguas.com.br; Ligue (31) 3234-6714 / (31) 98609-778 ou envie um e-mail para portal@povoselinguas.com.br. Outro contato é através dos números de telefone ou e-mails das agências missionárias parceiras que podem ser encontrados no Portal.

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.