Aconteceu no feriado de 07 de Setembro, na cidade de Uberlândia, Triangulo Mineiro, a V Feira das Nações durante o 29º Congresso de Missões SEMAP, com o tema: A SEARA ESTÁ MADURA Ap.14:15 – O que eu estou fazendo por missões?

A V Feira das Nações é uma realização do Movimento Missionário Evangelístico SEMAPINHO que reúne ao longo do ano Agentes Mirins Missionários frequentadores da Escola Bíblica Dominical, com idade entre 4 e 17 anos, da Igreja Evangélica Missões aos Povos da cidade de Uberlândia e Campo, presidida pelo Pr. Álvaro Alén Sanches (em foto com seus netos).

pr. Alvaro seus netos e vovo liza

Os Agentes Mirins Missionários do campo de Uberlândia são liderados pelos Agentes Semapinho (pessoas ligadas à EBDU e ao SEMAP) que os reúne semanalmente com o objetivo de Impulsionar crianças e adolescentes a Missões, realizando atividades que permitam o cumprimento dos 4 pilares missionários. (Conheça o Estatuto do Semapinho em http://www.semap.com.br/ptl/site/conteudo/70 ).

1º) ORAR por missões. “Levantar as mãos para o alto” Êxodo 17:11-13

2º) ARRECADAR fundos para missões. “Segurar a corda na boca do poço”. I Samuel 30:

3º) PREGAR o evangelho e falar de Jesus. “Pegar no cabo do arado”. Isaías 6:8

4º) ESTUDAR sobre a obra missionária. “Manejar a espada”. I Pedro 3:15

A V Feira das Nações foi a oportunidade dos Agentes Mirins interagirem com o público visitante e exporem seus estudos de religião comparada, defendendo biblicamente nossa fé em comparação com os blocos religiosos: Hinduísmo – Budismo – Animismo – Islamismo.

Neste ano de 2017 os estudos foram gentilmente preparados pelos professores teólogos Dr. Reginaldo Silva de Oliveira e Marivane Ferreira Soares Freitas, de maneira que os Agentes Mirins, meninos e meninas, puderam demonstrar, através de seus estudos bíblicos, a DEFESA DE NOSSA FÉ frente à práticas espíritas e animistas, se empenhando em defender os seguintes princípios:

PROIBIÇÃO DE IMAGENS RELIGIOSAS E A VENERAÇÃO –  Dt 7:25,26; Ex 20:3-5; Dt 4:15-19,23-25.  Ex 20:4-5; I Rs 19:18; Os 13:2.

A INVOCAÇÃO DOS ESPÍRITOS – Lc 16:26,31; Ec 9:5-7; Jó 7:9-10.  o paraíso celestial At 7:59; II Co 12:2,4; Ap 6 :9-11; Lc 23:43; Fl 1:23; II Co 5:6-8;  ou o inferno[hades], de onde não podem sair Lc16:23-25.

a Bíblia proíbe a tentativa de CONSULTA AOS MORTOS Dt 18:9-14; Lv19:31, Is 8:19.

A EXPLICAÇÃO DE  I SM 28 –  I Tm 4:1; II Co11:14; Jo 8:44; é prática condenada por Deus Dt 18:9-14; Lv 19:31; 20:27; Is 8:19.

A CRENÇA NA REENCARNAÇÃO para purificação do espírito

Jo 11:17-44; 20:27; Dn 12:2; Mt 27:52.

Hb 9:27 e Jó 7:9-10 diz que o homem só morre uma vez.

Lc 23:39-42.

DEUS CRIADOR E SUSTENTADOR DO UNIVERSO –  I Tm 6:15-16.  Hb 1:3. Js 10:12-14; Jo 11:39-44, etc. Deus é o criador da matéria, da energia, um ser Onipotente, Onipresente e Onisciente Sl 139:1-10; Sl 91:1.

Jo 4:24 – Rm 1:23, Jr 23:23-24, I Rs 8:27, Rm 1:20.

JESUS CRISTO – É o próprio Criador  Jo 1: 1,2,18; 5:18; 20:28; Cl 1:15-16; Ap 22:13, etc.

É o caminho, a verdade e a vida Jo 14:6.

Para que os Agentes Mirins Missionários tivessem a oportunidade de DEFENDER SUA FÉ BÍBLICA o público foi convidado a visitar stands com adolescentes vestidos tipicamente relatando história – religião e costumes dos países: Burkina Faso (África) Índia (Euro Ásia) e Tribos Indígenas (Brasil) levando os visitantes a um verdadeiro mergulho a estes diferentes campos missionários.

Assim tivemos uma Oca Indígena liderada pelos Agentes Semapinho Veridiano e Verediana Medeiros, Elceli V. M. Oliveira, Joyce Santos, Anderson Lourenço, Edmilson e Nivete, Vanderleia Freitas onde, os agentes mirins explicavam também sobre a criação do CONPLEI (Conselho Nacional de Pastores e Líderes Indígenas) que surgiu como estratégia para que o Evangelho não deixasse de ser propagado entre as diferentes etnias indígenas, frente as restrições e proibições advindas da Constituição de 1988 em seus artigos 215 e 231. A Oca era composta de duas portas de maneira que os visitantes passavam por dentro dela onde encontravam diferentes objetos de barro, palha e madeira de uso dos indígenas e os pequenos índios com seus arcos e flechas alegremente convidavam a todos para degustarem mandioca e milho verde que eram fervidos em grandes tachos sobre uma fornalha feita à porta da OCA. Também foram degustados deliciosos caroços de jaca. Os representantes indígenas residem nos quatro pontos cardeais de nossa cidade, unindo assim todos em oração para este trabalho: Bairros Jardim Brasília – Maravilha – Canaã – São Gabriel e Morumbi.

equipe tribos indigenas

No stand da Burkina Faso, as congregações Morumbi e Ebenezer se uniram através de sua liderança Semapinho e EBDU Cleide Santos, Jéssica Cardoso de Jesus, Claudia e recebendo forte ajuda de Geraldo Matos, Gabrielle e Áurea. Agentes Mirins Semapinho representaram a família missionária Rodrigues que atua na Escola Siloé com ensinamentos a cegos (alfabetização – violão – futebol e ações sociais como estratégias de evangelismo). O stand ofereceu de hora em hora uma oficina de Boneca Africana Abayomi [artesanato sem cola ou costura],   oportunizando a explicação das bases bíblicas que proíbem a idolatria à imagens.

equipe burkina faso

Tivemos também abrilhantando este stand a participação de Vânia Naves massoterapeuta do Grupo Algar e outras empresas da cidade que ofereceu, em sua cadeira apropriada, uma relaxante massagem feita pelas sensíveis mãos de uma cega. Em uma mesa ao lado, Lyryslley Reany Pires (nossa querida Lily, cega e surda – campeã em Brailler) – distribuía um marcador de Bíblias onde perfurava com sua Reglete Braille, o nome do visitante junto à frase: JESUS TE AMA em caracteres Brailler, acompanhando-as estava sua intérprete Kenia Satto, que também acompanha Lily nas aulas do curso de pedagogia que está cursando.

Os adolescentes valentemente apresentavam sua defesa da fé e contavam a história de uma serva do Senhor, Sara, que precipitou-se frente à demora para que se realizasse a promessa que o Senhor Deus  fizera a seu marido Abraão (Gênesis 16) que deu origem ao nascimento de Ismael do qual originou o povo árabe e no século VII o profeta Maomé (cerca de 570-632 DC) introduziu o islamismo em 610 DC, depois de ter tido uma experiência com o que ele chamou de visita angelical onde, segundo o próprio Maomé, o anjo Gabriel ditou o Alcorão, o livro sagrado do Islã, o qual os muçulmanos acreditam que seja as preexistentes palavras perfeitas de Deus. Além de propagar o trabalho de nossa família missionária e fazer a comparação entre as religiões lá praticadas pela maioria dos habitantes, animismo e islamismo, com nossa Fé Cristã, o stand teve o objetivo de cadastrar novos contribuintes para a Obra Missionária em Burkina Faso.

No Stand da Índia liderado por Suelaine Lemes, Lurdinha Sanches, Silvana Soares de Almeida, Graziela Aguiar Bezerra e Márcia Barcelos estavam os adolescentes da sede juntamente com os do bairro São Jorge (Congregação Filadélfia) que, vestidos como indianos portavam crachás com um nome em híndi, escolhido por eles, com o seu significado. Os adolescentes explicavam, através de pequenas encenações, os costumes praticados pelos seguidores da religião hinduísta colocando aos visitantes as bases bíblicas que nos levam a defender nossa fé frente a estes costumes como: crendices em um cerimonial de casamento; adoração de  muitos deuses entre eles os deuses ratos; a idolatria à animais como vacas, elefantes e macacos; idolatria a pessoas como Gandhi e Madre Tereza de Calcutá; superstições em relação aos sacrifícios e machucaduras em seu próprio corpo e o banhar-se no rio Gange. Distribuindo um chá ensinado pela nossa missionária na Índia Marcia os adolescentes aproveitavam a oportunidade para explicar seus estudos sobre comida e roupas indianas juntamente a outros costumes da sociedade indiana. O SEMAPINHO no stand da Índia divulgou o trabalho que há anos os missionários SEMAP na Índia “Família Dass – Márcia – Vivek e filhos” fazem tanto no campo teológico preparando missionários para estratégias evangelísticas em universidade, em praças públicas, como também em seus trabalhos com um orfanato onde abrigam crianças órfãs oferecendo-lhe alem de Jesus uma moradia decente com escola, roupas, alimentação e educação com muito amor fraternal.

equipe India

A SEMAP está a procura de doadores que queiram adotar um órfão da índia e os adolescentes propagaram esta procura, cadastrando os futuros colaboradores. Se você leitor tem este desejo no coração entre em contato com semap@semap.com.br

Nossos stands receberam o apoio irrestrito de nossa secretária SEMAP Franciele; a orientação do cerimonialista e decorador Nilson Dantas e estavam ilustrados por lindos desenhos artísticos gentilmente doados pelo artista plástico Waldir Ciriaco que com técnica de lápis preto representou além das famílias missionárias cenas do cotidiano da índia e da Burkina Faso.

Com entrada gratuita ao público, uma ampla área de alimentação foi montada onde as famílias puderam se acomodar para escolher, entre os diversos quiosques de comidas típicas, animadamente doadas e preparadas pelos Agentes Semap dos 12 núcleos que compõe as congregações da ADMP de Uberlândia. A Feira Gastronômica acontecia no salão social da igreja sede enquanto os familiares assistiam a inúmeros, teatros e coreografias ao som comandado por Jessé Tostes e a locução de Daniel Joaquim e sua esposa Gilcelena.  Entre as atrações queremos destacar a dança japonesa do leque, o hino da harpa em japonês, a cantora Midori e seu louvor em japonês, a tradicional marcha dos tambores dedicadamente ensaiada pela agente semapinho Almeri e sua família; a dança indígena em Tupi Guarani ensinada pela artista contadora de histórias Elcely Vieira Mendes Oliveira e corais e coreografias africanas com a participação das crianças dos bairros Luizote e Morumbi.

-equipe da feira gastronomica 2017

Animando a garotada participante um interessante meio de transporte indiano RIQUIXÁ circulou pelo espaço da feira levando as famílias a darem uma voltinha e sentirem-se na Índia. O Riquixá foi um trabalho de Fernando e Dayane Agentes Semapinho, hoje casados e pais de Eduarda (2 anos) que se conheceram no início do Movimento Semapinho no ano de 2001 quando ainda eram crianças.

A V Feira das Nações, organizada pelos diretores executivos do SEMAP, Pr. Assis Juares Marques e Pb. Alex Dornellis, iniciou-se pela manhã com duas atrações distintas: Para os adultos um debate com o tema “Desmistificando a Vinda dos Árabes para o Brasil”, com a participação dos missionários e familiares que trabalharam no oriente Médio em meio aos muçulmanos: Irinéa Matos, Antonio Araújo, Sandro Bernardi e Dagnaldo Pinheiro, momento em que o público pode interagir com perguntas e respostas esclarecedoras desta situação que se apresenta como uma grande estratégia de evangelismo, para a qual, nós crentes, devemos nos preparar.

Ao mesmo tempo, as crianças menores de 10 anos, interagiram com fantoches e bonecos aprendendo histórias missionárias contadas pelos Agentes Semapinho Maria Aparecida Silva Teixeira e seu esposo Heliomar Teixeira da Silva (tia Cida e tio Léo); Elisaneide Firmino Nieuwland (vovó Liza); Dayane – Eduardo e seus fantoches missionários.

Coordenadoras do SEMAPINHO Ely Paschoalick, Márcia Pereira Marques Luiz, Almeri e Rosângela agradecem a Deus pela oportunidade de poder servi-lo com tanta alegria e realização.

 

Texto de Ely Paschoalick

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.