Ha quase duas décadas nos Estados Unidos, as escolas públicas aceitam que cursos extracurriculares sejam oferecidos aos seus alunos. E desde então, as  igrejas evangélicas criaram o “Clube das Boas Novas”,  oferecendo ensinos bíblicos com a missão de “estabelecer as crianças como discípulos da Palavra de Deus”. Contudo, como os cursos são livres,  membros do Templo Satanista americano decidiram também difundir seus ideais para os pequeninos.

Até as tarefas básicas, que antes parecem inocente , não são mais. A tarefa ligar os pontos, que antes era feita a ligação entre uma maça a outra, por exemplo, agora o aluno chega ao final a imagem que tem é um pentagrama invertido. Pois este é o tipo de exercício que o programa “Satã Depois da Escola” tem oferecido para as crianças americanas. A imagem é clara: um lápis escolar de três pontas, simulando um tridente. Os membros do Templo Satanista querem tirar proveito da legislação para “oferecer uma alternativa a crianças e pais”.

satanismoa imagem é do material didático para as crianças

“Se cursos religiosos são permitidos nas escolas, nós queremos espalhar nossos clubes por toda a nação para garantir que múltiplos pontos de vista estejam representados”, disse Chalice Blythe, diretora nacional da iniciativa satânica em entrevista para a BBC Brasil. Para divulgar o projeto, um convite em vídeo que apresenta imagens de crianças intercaladas com aranhas, bodes e outros símbolos satânicos, além de um áudio invertido. O grupo chama os pequeninos para “aprenderem e se divertirem” com o satanismo.

Para combater esse prática, diversos grupos ligados ao TFP (Tradição, Família e Propriedade) classificaram o projeto como “sacrilégio” e convocaram os cristãos a protestarem pelo retorno da moral cristã. “Precisamos frear a popularidade do satanismo”, disse o grupo religioso que realizou um movimento de abaixo-assinados com o objetivo de barrar os cursos satânicos.

Criado em 2014, o Templo Satânico ganhou força nas redes sociais e já reúne mais de 100 mil seguidores. Nesses três anos de funcionamento, foram inaugurados escritórios em 13 Estados americanos. O Brasil também pode ser um alvo. Na página na rede social é possível ver algumas manifestações como a desse morador do Rio de Janeiro: “Precisamos de uma filial do templo no Brasil”.

E para além dos cursos que podem afastar as crianças do Evangelho, o grupo pretende instalar monumentos dedicados ao diabo bem ao lado de estátuas cristãs que ficam expostas em espaços públicos. Para a maioria dos grupos cristãos tradicionais, estes satanistas seriam ativistas políticos travestidos de religiosos. “Este grupo não é legítimo. A única razão para ele existir é se opor aos Clubes de Boas Notícias, onde ensinam a moral, o desenvolvimento do caráter, patriotismo e respeito, de um ponto de vista cristão”, afirmou, em nota, Mat Staver, fundador do grupo evangélico Liberty Counsel.

Fonte:Portal Guia-me

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.