Iniciado em Hernhut, Alemanha no século 18, o movimento de oração continua (24 horas) chamado Moravianos durou por quase 100 anos, e eles não oravam por aquilo que não estavam dispostos a serem a resposta. Os Moravianos eram muito dedicados ao Senhor, mais de 2150 membros de sua igreja foram enviados como missionários, a ação missionária utilizou pessoas simples e comuns de coveiro a lavrador, de sapateiro a oleiro e até como escravo vendido. Marcaram um recomeço de um mutirão missionário a todas as nações. Certa fez foi feita a seguinte pergunta a um Moraviano: “O que significa ser um Moraviano?”. E ele respondeu “Ser um Moraviano e promover a causa global de Cristo são a mesma coisa”.

Dois jovens Moravianos, de 20 anos ouviram sobre uma ilha no Leste da Índia onde três mil africanos trabalhavam como escravo e cujo dono era um Britânico agricultor e ateu. O coração dos jovens se contorceu só de imaginar que todas essas pessoas passariam o resto de suas vidas confinadas sem jamais ouvir falar sobre o amor do Pai. Então esses dois jovens fizeram contato com o dono da ilha e perguntaram se poderiam ir para lá como missionários, a resposta do dono foi imediata: ” Nenhum pregador e nenhum clérigo chegaria a essa ilha para falar sobre essa coisa sem sentido”. Isso seria o ponto no qual a maioria de nós desistiria, para eles foi a motivação para tomar a decisão mais difícil de suas vidas: vender-se como escravo. Eles poderiam suportar o fato de viverem confinados pelo resto de seus dias, mas jamais suportariam saber que tantas almas morreriam sem salvação. O valor da venda pagou a viagem até a ilha, depois disso jamais se receberam notícias dos dois.

Na hora da partida houve orações choros e abraços, amigos e familiares puderam dar o último adeus para seus irmãos. E algumas pessoas falaram: porque vocês estão fazendo isso? Vocês nunca mais irão ver seus familiares e amigos, e vão ser escravos para o resto de suas vidas! Mas, quando o barco estava se afastando do porto os dois jovens levantaram suas mãos e declararam em voz alta:

“Para que o Cordeiro que foi imolado receba a recompensa por seu Sacrifício através das nossas vidas”.

Esses dois jovens ousaram ir além de tudo o que se considera “aceitável” para fazer o nome do seu Salvador conhecido. Uma história extraordinária de dois servos que jaz ofuscada, quase esquecida. Os Moravianos sempre foram conhecidos por compreenderem a responsabilidade da evangelização e seu alvo eram povos rejeitados. Mas o exemplo desses jovens é algo extraordinário, eles passaram o resto de suas vidas trabalhando pela salvação daquelas pessoas. Eles levaram a sério este versículo:

“…apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus…” (Rm 12:1)

 

14 Comments

  1. Rosilene Macêdo

    Quero receber maus histórias edificantes como essa dos Moraivianos

    • Redação Radar

      Ola Rosilene, que bom é saber que fostes edificada com esse artigo. O Radar Missionário se propõe a publicar constantemente biografias de missionários. Nos acompanhe e conhecerás vários testemunhos marcantes de missionários.

  2. ……

  3. Priscila

    Gostei muito, nasci em um lar cristão, mas nunca ouvi falar sobre os moravianos.

    • Redação Radar

      A paz Priscila, ficamos felizes desse testemunho ter edificado sua vida.
      Sempre que possível visite nossa pagina e terás outros testemunhos como esse para edificar sua vida
      :)

  4. sirlene massaneiro

    Amo receber esses exemplos de fé vivida,quero receber mais pois edifica muito a minha vida…

    • Redação Radar

      Irmã Sirlene, que bom é saber que tens sido edificada com as postagens.
      Obrigada por compartilhar :)

  5. Marcelo Fonseca

    Olá irmãos, conheço bem esta história, mas sempre me alegra lê-la mais uma vez. Sou pastor e missionário na Espanha onde trabalhamos para implantar uma base missionária e igrejas locais. Recentemente estive no Nepal para ações humanitárias e produção de um documentário, abaixo deixo o link do video da viagem.
    Abraços no amor de Cristo.

  6. Na verdade oque está em nós é maior, glória a Deus!

  7. Tudo posso naquel que me fortalece”!

  8. Meu Deus Eterno que tamanho e agradável amor que esses jovens tiveram por amor a cristo Jesus . isto me dá mas força e ânimo em continuar na palavra.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.