Por Rev. Hernandes Dias Lopes

A obra missionária é uma tarefa inacabada. Ela exige o empenho de toda a igreja, em todo o mundo, para alcançar todo aquele por quem Cristo deu a sua vida. Esta obra é imperativa, intransferível e inadiável. Vejamos alguns desafios da obra missionária:

  1. O alvo da obra missionária (Mt 28:18-20) – O grande alvo da obra missionária é fazer discípulos de todas as nações. Esse é o grande imperativo de Cristo na grande comissão. O Senhor não quer apenas uma grande multidão, mas discípulos, pessoas transformadas, comprometidas e engajadas no projeto do Reino de Deus. Hoje, vemos muita adesão e pouca conversão; muito ajuntamento, mas pouco envolvimento; muitos assistentes e poucos discípulos.
  2. O alcance da obra missionária (Mc 16:15) – Jesus desafiou seus discípulos a pregarem o evangelho por todo o mundo. O campo é o mundo. O evangelho deve ser pregado a todas as nações, a todas as etnias da terra. Onde existir um grupo étnico, por mais remoto que seja ou de difícil acesso, ali está um campo missionário que precisa ser alcançado. Precisamos levantar os nossos olhos e ver os campos que estão brancos para a ceifa aqui, ali e além fronteira.
  3. A mensagem da obra missionária (Lc 24:46-47) – A mensagem a ser proclamada ao mundo inteiro é a morte e a ressurreição de Cristo. A obra expiatória de Cristo e sua vitória sobre a morte, o pecado, o mundo e o diabo é a essência do evangelho. Devemos, portanto, exortar os homens, em todos os lugares, e em todos os tempos a se arrependerem e se voltarem para Deus enquanto é tempo. A mensagem do amor de Deus, da cruz de Cristo, do evangelho da graça que oferece vida eterna a todos aqueles que se arrependem e crêem no Senhor Jesus é a boa nova que a igreja precisa anunciar.
  4. O método da obra missionária (Jo 20:21) – Jesus disse para os seus discípulos: “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio”. Jesus deu uma ordem e também uma estratégia. O Pai enviou Jesus e ele se fez carne; ele tabernaculouse entre os homens. A obra missionária exige identificação sem conivência com o mal. O missionário precisa envolver-se com as pessoas, inserir-se em seu meio e compadecer-se delas. Cristo foi um homem do povo. Ele percorreu as cidades, ele estava no meio da multidão. Ele compadeceu-se dos aflitos, curou os enfermos, limpou os leprosos, alimentou os famintos. Jesus atraía as pessoas para si. Devemos, de igual modo, amar aqueles a quem Deus ama e compadecermos deles, levando-lhes as boas novas do evangelho, servindo-os com profunda compaixão.
  5. O poder da obra missionária (At 1:8) – Não podemos fazer a obra de Deus confiados em nossa própria sabedoria e força. Só o Espírito Santo pode convencer o homem do pecado. Só ele pode regenerar o coração impenitente. Sem o poder do Espírito Santo a obra missionária seria um fracasso, pois todas as estratégias e recursos humanos seriam absolutamente insuficientes para levantar, sequer uma pessoa da morte. Jesus não abriu mão da capacitação do Espírito Santo para realizar seu ministério. A igreja apostólica só alcançou o mundo para Cristo depois que foi revestida com o poder do Espírito Santo no Pentecostes. Nos grandes avivamentos da história, quando a igreja cresceu e fez abundantes colheitas, ela buscou e recebeu o poder do Espírito Santo. Que seja esse o clamor da nossa igreja nestes dias!

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.