A International Christian Concern (ICC) descobriu que no dia 29 de janeiro, três cristãos foram sentenciados pelo tribunal sudanês em Khartoum Norte, por acusações de “espionagem, entrada no Sudão sem visto, incitação ao ódio, fotografar instalações militares e publicar notícias falsas”. O reverendo Hassan Abduraheem foi condenado a 12 anos, Abdumonem Abdumawla foi condenado a 12 anos e Petr Jasek foi condenado a 20 anos.

Petr Jasek é um cidadão checo, Já Abdumawla e Abduraheem são cidadãos do Sudão do Sul. Eles foram detidos por oito meses sem serem formalmente acusados. A prisão se deu em  dezembro de 2015. Sua detenção centrou-se no fato de que eles ajudaram uma vítima que havia sido queimada e ferida durante manifestações em 2013. A lista de acusações contra eles cresceu rapidamente.

O governo checo rejeitou a decisão como infundada e insiste que não há provas para esta dura sentença que enviou ondas de choque por meio da comunidade cristã do Sudão e Sudão do Sul.

Um pastor da região disse à ICC: “A comunidade de cristãos no Sudão e Sudão do Sul está muito decepcionada com o veredito dado no domingo. Os três merecem algo melhor.Eles têm famílias e igrejas para cuidar e estamos juntando nossas mãos como cristãos para jejuar e orar e não deixaremos eles até que sejam soltos”, ressaltou.

Aumento da perseguição

A perseguição contra os cristãos está aumentando no Sudão. Assim explica um cristão que viveu no Sudão: “A dor que os cristãos atravessam no Sudão não é nada parecida com o que ouvimos ou lemos nos sites”, comentou. “A perseguição cristã tem aumentado rapidamente em Cartum e pedimos à comunidade internacional que chegue em pleno andamento e ajuda”, disse.

Uma grande maioria dos cidadãos sudaneses são muçulmanos e o governo sudanês tomou uma abordagem agressiva contra ministérios cristãos dentro de suas fronteiras. A sentença destes três estrangeiros cristãos envia um sinal sobre a posição de Cartum, sobre a liberdade religiosa: é indesejável. Ainda assim, muitos estão se unindo em oração pela libertação de seus irmãos em Cartum e por oportunidades para compartilhar o Evangelho no Sudão.

Um dos pastores que estava preso com eles, mas que desde então foi libertado, disse à ICC: “Nossos irmãos no Sudão do Sul têm orado e continuaremos a orar até que a justiça seja feita. Estas sentenças são hostis à Igreja, são como pedra de tropeço para a disseminação do Evangelho no Sudão e também na fronteira do Sudão e Sudão do Sul”, colocou.

Daniel Harris, Gerente Regional da ICC, disse: “A International Christian Concern condena fortemente esta dura sentença baseada em acusações falsas, que não fizeram nada para merecer punição, mas trabalharam incansavelmente para fornecer ajuda humanitária no Sudão. ‘Um golpe de honra’ para os direitos humanos e a liberdade religiosa no Sudão. Nós encorajamos fortemente o Sudão a libertar estes estrangeiros e permitir a liberdade religiosa para os seus cidadãos “, salientou.

 

Fonte: Portal Guia-me

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.