No segundo dia da 8ª edição do Congresso Brasileiro de Missões (CBM2017) na parte da manhã foi a vez dos palestrantes Patrick Lai que é uma das maiores referências mundiais na temática das missões empresariais (Business as Mission e similares), com o tema “A missão no século XXI” e Michael Goheen, especialista no assunto de “Igreja Missional”. Após o almoço, além de poder visitar os estandes das agências missionárias, os congressistas puderam escolher entre as dezenas de opções de seminários com enfoques diferentes. Para finalizar o dia, um dos pontos alto da noite foi a participação da missionária Soraia Morais da JMN (foto) que falou um pouco do seu testemunho, da criação e desenvolvimento do projeto o qual é uma das líderes, Cristolândia.

2dia cbm

Na palestra de Patrick, a mensagem foi ilustrada pela parábola do vinho novo em odres novos, para remeter que é preciso abrir os horizontes de missões com novas estratégias. Hoje quando pensamos em missões, o conceito que vem à mente, são as tradicionais estratégias de visita nos lares, cruzada evangelísticas, entrega de panfletos, contudo ele veio apresentar que existem outras formas de fazer missões apontada inclusive na Bíblia, como por exemplo o evangelismo por meio do trabalho especializado. “Das 132 vezes que foram relatadas as aparições de Jesus, 122 é relacionado a trabalho dos personagens. Das 52 parábolas, 45 falam sobre trabalho. E nós não percebemos isso, muitas das vezes. Consideramos apenas o conteúdo da passagem e não o contexto do fato relatado”, explicou.

Patrick apontou ainda duas ordenanças de Jesus: a primeira  é frutificar (Gn 1.28) e a segunda é lavrar a terra (Gn 2.15), e essa é a base de missão empresarial. “Pois quando Deus colocou o homem na terra, o que ele esperava era que ele trabalhasse, o proposito dEle que o homem cuidasse da terra que ele criou”.

Hoje o homem continua sendo movido pelo trabalho, o maior motivo de migração da cidade para o campo, é em busca de trabalho. A essência da cidade é o mercado de trabalho, e se as pessoas mudam para lá atrás disso, é porque as pessoas estão desejando e precisando trabalhar, é isso que as movem. “E nós como missionários precisamos alcançar o coração dessas pessoas para Jesus, então dar a resposta para elas, sobre que elas buscam, vem de Deus, é isso que Ele espera de nós”.

Quando ele começa sua palestra falando dos novos odres, na verdade o que Patrick aponta é que o novo caminho de missões está voltado a dar o emprego, e não apenas em levar água, comida, remédio, mas sim algo que vai suprir todas essas necessidades e mais, deixa-las felizes, realizando um desejo de seus corações.  “Nós fomos deixados de ser ensinados que o trabalho é um princípio de Deus para o homem, então quando a gente leva missões e não leva a oportunidade de trabalho, estamos deixando em parte de realizar o desejo de Deus” disse.

De forma prática Patrick conta que quando passou por um contexto muçulmano foi bem complicado explicar princípios como graça, perdão o amor de Deus, para alguém que tinha uma cultura sem nenhum preceito cristão. “Quando eu trabalhei na Ásia com os mulçumanos, eu não conseguia alcançar resultados com a forma tradicional que aprendi a evangelizar, pois era difícil explicar os conceitos da fé cristã para eles, mas tudo foi diferente através de trabalho porque na atuação de negócio a pessoa reproduz a sua experiencia para comunicar a glória de Deus. Jesus aparece quando se faz negócios da forma de Deus, num ambiente sem Deus. Quando vamos as praças, para falar do amor de Deus a pessoa não consegue ver Jesus em nós imediatamente. Mas, quando trabalhamos diariamente com ele, no relacionamento diário é que apresentamos Jesus verdadeiramente para ela. Com nossa postura, atos e forma de viver”. Quando se perdoa um erro no trabalho que culturalmente não é perdoado, é mais fácil de mostrar a forma que Deus trabalha. Por isso, Patrick alerta que precisamos perceber que em muitos casos o contexto está mudando e precisamos calibrar a forma que fazemos missões.

Finalizando ele disse que milhares de povos não entendem a nossa forma de comunicação sobre o evangelho somente vivendo entre eles para que compreendam o evangelho.

*O Radar Missionário está no CBM2017 realizando a cobertura jornalística do evento.

 

 

 

Tags:

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.