O ano de 2015 é sem dúvida o ano que ficou marcado pela tragédia da guerra na Síria, resultando no drama e sofrimento de seus cidadãos, os refugiados sírios. Automaticamente quando nos referimos aos refugiados sírios, nos vem à memória os muçulmanos e com isso, todo um pré conceito se instala em nosso ser, como resposta ao terror, ao sofrimento, à guerra…. Somos bombardeados constantemente com informações nas mídias de comunicação que nos fazem odiar os muçulmanos, sem mesmo conhece-os, nem a pessoa, assim como a religião.

Quem são os muçulmanos? O que é o islamismo? Quem é o Estado Islâmico? Quem são os refugiados sírios, são terroristas? São inúmeras as perguntas que ficam sem respostas para a maioria das pessoas. Este artigo procura informar, esclarecer e mostrar o que Deus pensa sobre os muçulmanos e refugiados sírios. Não tenho a pretensão de aprofundar e esgotar o assunto, mas apenas dar um ponto de partida para que você, leitor, tenha um norte para não ser manipulado por falsas informações veiculadas por aí.

O islamismo teve como seu fundador, Maomé, no século 6 depois de Cristo, na Arábia, região do Oriente Médio. Nos dias de Maomé ou Mohammed, as pessoas que viviam ali na Arábia eram politeístas, mas existiam algumas tribos judaicas e cristãs. Como comerciante, ele conviveu de perto com essas religiões e sentiu a necessidade e “chamado” de Deus ou Allah, para fundar uma só religião em que adorasse apenas a um Deus.E esse é o primeiro pilar, dos seis que existem, do islamismo:

1) Recitar a profissão de fé: Não há outro Deus senão Allah e Maomé é o seu profeta.

2) Orar 5 vezes ao dia.

3) Dar esmolas aos pobres.

4) Jejuar durante 30 dias no mês do Ramadan.

5) Fazer a peregrinação à Meca.

6) Praticar a Jihad. (este pilar tem sido acrescentado pelos teólogos islâmicos modernos).

Os muçulmanos creem em Jesus, mas de uma maneira diferente dos cristãos. Para eles, Jesus é apenas um profeta. Eles não aceitam que Jesus é o Filho de Deus, o próprio Deus e esta é a base principal da fé cristã, que Deus amou o mundo de tal forma que enviou Jesus, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna, João 3.16.Sabemos também que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento, para que conheçamos aquele que é o Verdadeiro. E nós estamos naquele que é o Verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna, 1 João 5.20.

Eles conhecem também alguns profetas e personagens bíblicos, como Abraão, Isaque, Ismael, Noé, etc… Mas não os conhecem da forma completa como a Bíblia nos relata. Inclusive há algo comum na crença islâmica e cristã: ambas creem em Abraão e seus dois filhos, Isaque e Ismael, o que difere é que para os muçulmanos foi Ismael quem Abraão levou para ser sacrificado e não Isaque, como a Bíblia nos conta.

E Ismael é um personagem muito importante para entendermos o povo árabe e muçulmano.

Quando lemos em Gênesis 16; 17:20-22; 21:12-21; 25:12-18; conhecemos a história de Ismael e como Deus profetizou acerca dele:

“Disse-lhe (a Agar) mais o Anjo do Senhor: Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, que não será contada, por numerosa que será. Disse-lhe também o Anjo do Senhor: Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamarás o seu nome Ismael; porquanto o Senhor ouviu a tua aflição. E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos.”Gênesis 16:10-12

Leia os outros versículos para compreender melhor o desenrolar da história de Ismael, Abraão e Agar.

Como Sara não engravidava, pediu que Abraão se deitasse com sua serva Agar, para que tivesse um filho através dela. Agar engravidou e foi Deus quem escolheu o nome da criança, Ismael, além de lhe abençoar com uma descendência numerosa e ainda dizer que ele seria um homem feroz. Houve vários momentos no começo da vida do jovem Ismael que Deus poderia ter deixado ele morrer, mas Deus tinha um plano e propósito de salvação também para ele e sua descendência. Quando os irmãos de José, o jogaram dentro de um poço para que ele morresse, foi uma caravana de ismaelitas que passou naquele exato momento e seus irmãos o venderam para esses comerciantes, sendo assim salvo da morte. No livro de Isaías no capítulo 60, vemos Deus descrevendo quem estará diante de Sua presença para O adorar eternamente, e nos versículos 6 e 7 vemos representados ali os primogênitos de Ismael. Aleluia!!!

De Ismael originou os árabes. De Maomé, árabe, originou os muçulmanos. Mas todos os árabes são muçulmanos? De maneira alguma!!

Observe no mapa abaixo quais são os países de árabes da Península Arábica, (cor roxa); os países que falam árabe que estão fora da Península Arábica (cor verde); os países que são muçulmanos, mas que não são árabes (cor azul) e os países com uma importante minoria muçulmana (cor alaranjado).

Paises Arabes 05

Depois da morte de Maomé; que foi assassinado, e não havia um substituto pronto; seus seguidores começaram a discutir entre si quem deveria ser o novo líder do islamismo, surgiu a mais importante divisão dentro do islã, os sunitas e os xiitas. Os xiitas acreditam que o sucessor de Maomé deveria ser seus parentes consanguíneos, já os sunitas acreditam que deveria ser quem andava mais de perto com Maomé. (este é um resumo da divisão entre eles, o assunto é mais profundo).

sunitas

Já se passaram 1437 anos desde a volta de Maomé para Meca, vindo de Medina. É a partir deste momento, chamado Hégira, que o calendário islâmico começa a ser contado. E hoje podemos ver como os muçulmanos estão espalhados pelos continentes. Veremos no mapa abaixo onde estão concentrados os muçulmanos sunitas e xiitas.

Observe onde as cores são de cor verde, seguindo as suas variações, é onde estão a maioria dos muçulmanos sunitas e nos países de cor vinho, os xiitas. Nestes países há uma minoria de pessoas de outras religiões, não há somente muçulmanos.

mapa

O grupo Estado Islâmico é sunita ou xiita?

O E.I. (Estado Islâmico) é também conhecido como E.I.I.L – Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Jordânia, Israel, Palestina, Líbano, Chipre, Síria,Iraque); ISIS – IslamicState in IraqandSyriae DAESH – al-Dawla al-Islamiya al-Iraq al-Sham(em árabe). Eles são sunitas e praticam o islamismo ao pé da letra do que diz o Alcorão, livro sagrado do islamismo. Eles, os radicais muçulmanos, são uma minoria dos muçulmanos esparramados pelo mundo afora. A maioria dos muçulmanos vivem em países onde não há a opção de mudar de religião, onde não há igrejas cristãs, não há bíblias em sua própria língua. Esses muçulmanos, também na sua maioria vivem um islamismo nominal, onde muitos não conhecem o Alcorão, pois o livro está escrito em árabe e é proibida a sua tradução. Por isso as pessoas não têm acesso ao conteúdo do livro. Por exemplo, temos no Brasil uma “interpretação” do que seria a tradução do Alcorão, mas isso não acontece em todos os países.

No próximo mapa veremos como o Estado Islâmico tem avançado no Iraque e na Síria:

map-isis

Neste próximo, vemos como foi rápido o avanço deles na Síria: Na área em verde, o ISIS controlava estas áreas em Agosto de 2014, já em Janeiro de 2015 estava em toda esta área listrada de vermelho. Muito rápido!!

mapa2

Como podemos ver no mapa da Síria, os paises que fazem fronteira são: Iraque, Jordania, Turquia, Líbano e Israel. Com o avanço do ISIS dentro do país, as pessoas começaram a fugir e se refugiaram na Jordânia, no Curdistão Iraquiano, no Líbano e infelizmente houve por algum tempo, as fronteiras fechadas da Turquia. Lamentável…

turkay

Como a Turquia fechou suas fronteiras, o único caminho para fugir da morte foi através do Mar Mediterrâneo e infelizmente sabemos da quantidade de pessoas que perdem suas vidas nesta atravessia.

5gtcdll4ql_1vc7andju7_file (1)

Vários países da Europa receberam os refugiados sírios, mas dos 11.8 milhões, menos de 6% estão ali, segundo dados da Al Jazeera .

24fe935c-0141-4ada-a7c1-76054a1fb646

Uma quantidade pequena veio para o Brasil, mas mesmo sendo em número menor, eles tem passado muitas dificuldades, alguns até já se tornaram mendigos, pois não tem dinheiro para alugar uma casa, comprar alimentos, etc.

A Igreja brasileira tem feito muito pouco. Deus tem nos dado a oportunidade de sermos suas testemunhas, de ser sal e luz diante destes refugiados sírios e de outros refugiados, como os haitianos. Precisamos abrir nossos olhos e dispor nossas mãos para ajudar o pobre e necessitado, neste caso, especificamente os refugiados sírios.

Graças a Deus algumas ONGs cristãs tem se levantado para ajudar, como a Missão MAIS, e o CAEB e tem feito um excelente trabalho.

Te desafio a entrar em contato com esses irmãos e ver como você pode se envolver e assim transformar a vida de um sírio, ou de uma família inteira.

 

Texto de Mayada.

Colaboradora do MAC – Ministério Árabe Cristão – em Uberlândia

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.