Infelizmente temos inúmeros países na lista de Igrejas Perseguidas. Povos que não têm o direito de expressar livremente sua religião, quando ela se trata do cristianismo. Contudo, algumas são mais faladas do que as outras. Mas, erramos quando acreditamos que as “famosas” recebem mais orações. Agências Missionárias e organizações voltadas para a causa dos que sofrem por seguir o evangelho de Cristo são justos e organizados para levantar um clamor e praticarem ações especificas a todos.

Pensando nesse assunto escolhemos ‘falar’ sobre a Colômbia.  E você pode estar se perguntando “A Colômbia não é um país democrático moderno, onde a liberdade religiosa é garantida? A resposta teórica é sim, com ressalvas, e vamos explicar o porquê.  As grandes áreas da Colômbia, que tem como capital a cidade de Santa Fé de Bogotá e uma população de 46.300.196,  estão sob o controle de organizações criminosas, cartéis de drogas, revolucionários e grupos paramilitares. O povo sofre com conflitos entre as organizações do país há décadas, mas os cristãos são especialmente vulneráveis a tais hostilidades.

Os protestantes são vistos como uma ameaça para o poder de líderes locais e tradições ancestrais indígenas e são particularmente vulneráveis a sofrer abusos dos direitos humanos. Um grande número de cristãos foi deslocado de suas terras, a violência às mulheres cristãs está aumentando e sermões da igreja são monitorados. “Deus está definitivamente fazendo algo na Colômbia que terá impacto sobre todo o mundo, e alguns dos guerrilheiros são parte disso.” Disse um cristão colombiano.

Os números apontam que realmente os cristãos são muitos em terras colombianas, porém os protestantes ainda são minoria. Cerca de 90% da população é cristã, entre esses de 10 a 13% são evangélicos. As organizações não católicas (incluindo as evangélicas) têm de pagar imposto de 4% dos dízimos, ofertas e contribuições de caridade. Missionários não católicos e líderes religiosos também devem pagar um imposto de 17% de toda a ajuda financeira recebida do exterior.

Em geral, os cristãos protestantes podem construir igrejas, apesar de algumas restrições de zoneamento ou deslocalização. Exceções também podem ocorrer em áreas rurais controladas por grupos armados ou, em alguns casos, ricos “patronos” que não querem uma presença cristã evangélica em sua área. Estatísticas do Conselho Evangélico de Igrejas da Colômbia indicam que mais de 400 igrejas já foram fechadas e cerca de 150 pastores foram assassinados pelas facções desde 1998.

Por esses e outros motivos, os principais motivos de oração pela Colômbia são: As desigualdades de renda (Um terço da população vive abaixo da linha de pobreza). Os cartéis de narcotraficantes, crime organizado, guerrilha e atividades paramilitares têm feito com que muitos colombianos emigrem para outros países. Maior cultivador de cocaína do mundo. Possui grandes plantações de ópio e maconha e ainda é um grande fornecedor de meninas e mulheres para a indústria mundial do sexo por meio do tráfico de pessoas.

Perseguição religiosa

O crescimento da igreja é significativo; porém, aqueles que se convertem são considerados traidores e alguns são assassinados. Missionários são ameaçados, sequestrados e às vezes mortos. Muitos cristãos são martirizados por assumir posições contrárias ao crime.

A igreja evangélica da Colômbia é formada por cinco milhões de membros, dos quais 20%, um milhão, formam a Igreja Perseguida. Quinhentos mil cristãos perseguidos vivem entre os desalojados, em extrema pobreza, enquanto outros 500 mil vivem em áreas de conflito controladas pelos grupos armados ilegais. Estatísticas do Conselho Evangélico de Igrejas da Colômbia indicam que mais de 400 igrejas já foram fechadas e cerca de 150 pastores foram assassinados pelos subversivos desde 1998.

Outro dado importante referente à questão da perseguição na Colômbia é que na lista com os 50 países mais opressores ao Cristianismo, divulgada anualmente pelo site Portas Abertas, hoje o país ocupa o 46º lugar na classificação.

A primeira diocese católica foi estabelecida na Colômbia em 1534, enquanto os primeiros missionários protestantes chegaram ao país em 1825. Em 1953, um “tratado de missões” deu direitos exclusivos de evangelização no país às ordens missionárias católicas. Mais tarde, esse tratado foi revogado e a constituição de 1991 eliminou a posição privilegiada da Igreja Católica na sociedade, concedendo maior liberdade às minorias religiosas.

Apesar das disputas entre as diferentes tradições, o cristianismo continua a ser uma força significativa na vida colombiana. O trabalho agressivo de evangelização tem ajudado a Igreja a crescer. Pesquisas recentes indicam que a instabilidade do país tem levado os colombianos a reavaliar suas crenças religiosas, o que acaba por gerar um novo temor a Deus, quaisquer que sejam suas doutrinas. Mesmo a guerrilha tem sido alcançada pelo evangelho. Um bom número de guerrilheiros convertidos e desertores agora estão empenhados em levar a Palavra de Deus a todos ao seu redor, especialmente aos seus antigos companheiros.

Fontes

– CIA Factbook 2008

– Open Doors International

– Portas Abertas

– Jocum Kickoff

– JusBrasil

 

.

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.