Além dos desafios que surgem naturalmente com a caminhada missionária, aqueles que dedicam seu tempo e talentos ao desenvolvimento do Reino também passam por fraquezas e dificuldades naturais de qualquer ser humano. Poder compartilhar dos obstáculos e aprendizados que vieram com eles nos permitem crescer em unidade e nos fortalece. Um casal de missionários de nossa base na Itália dividiu alguns desses aprendizados conosco. Confira, na íntegra, a carta que eles escreveram:

“Nos últimos três anos, toda vez que batia a ansiedade, lembrávamos de Filipenses 4:6, sobre não andarmos ansiosos com coisa alguma. Quando alguém compartilhava conosco sobre estar ansioso, citávamos esse texto e dizíamos para as pessoas apresentarem seus pedidos a Deus, lançando suas ansiedades a Ele. Lemos tanto esse texto, pensamos e compartilhamos tanto sobre ele, que achávamos que não havia mais nada para aprender sobre isso. Mas faltava algo: faltava viver isso, de fato, no coração, e em nosso dia a dia.

“Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ações de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus” (Fp 4:6,7)

Passamos por um período em que tivemos que (re)aprender a não vivermos ansiosos. Em um dia especificamente inundado de ansiedade, uma querida amiga disse que se lembrou de nós enquanto orava e meditava sobre suas próprias preocupações e nos encaminhou um sermão de Spurgeon, pregado em 1888. A exposição dele foi toda baseada em Filipenses 4:6, feita de forma simples, mas muito profunda e transformadora.

Um dos principais pontos dele foi sobre transformar cada motivo de ansiedade em uma oração. Nos demos conta do quanto sempre falamos sobre isso, mas do quão pouco de fato fazíamos isso, verbalizando nossas ansiedades e transformando-as em orações. Desde então, temos praticado esse exercício e visto a inexplicável paz do Pai, que guarda nossos pensamentos e corações em Cristo Jesus.

Parece algo simples, até pequeno. Veio uma ansiedade? No mesmo momento, tentamos transformá-la em uma oração. Cada dia tem sido assim. Viver essa prática tem mudado radicalmente nossa maneira de nos relacionarmos com Deus. Começamos a perceber o quão distantes estávamos ao vivermos ansiosos. Era como se, diariamente, declarássemos com o nosso coração, angustiado, que de fato não confiamos Nele. Parece um absurdo, mas percebemos que essa é a verdade quando vivemos ansiosos. É inevitável que uma ansiedade apareça, mas é nossa escolha se vamos alimentá-la ou se vamos transformá-la em oração, se vamos abrir mão dela e entregá-la a Deus, deixando que Ele encha nosso coração com a Sua paz.

Nesse processo, temos visto também o cuidado e sustento de Deus por meio da oração de Seus santos. Outra amiga, também muito querida, disse ter sonhado conosco e que Deus havia revelado motivos para ela orar por nós. Mais uma vez, Deus tocou o coração de alguém para interceder por nossas vidas. Hoje, temos percebido mais o quanto isso faz diferença em nossas vidas, de maneira viva e real em nossos dias. E que privilégio! É encorajador ver pessoas que admiramos nos sustentando em oração, e temos visto o resultado dessas orações em nossa vida. São essas orações que nos ajudam a passar pelos desafios diários, como viver em paz nos momentos em que a ansiedade vem.

Somos gratos a Deus por tudo o que Ele tem feito. Por continuar ensinando a vivermos com confiança em seu cuidado. Somos gratos também pela equipe da MORE Italia: nossa família aqui em Trento. Agradecemos também a você, por suas orações, mensagens e suporte, ainda que distantes, mas sempre presentes em nossas vidas.

Oramos para que, quando uma ansiedade vier sobre sua vida, você transforme-a em oração e súplicas, apresentando seus pedidos a Deus com ações de graça. Sabemos que, ao fazer isso, certamente a paz de Deus guardará o seu coração e a sua mente em Cristo Jesus.

Nos cuidados Dele.”

Fonte: Missão Mais no Mundo

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.