Cheguei no Brasil em 1969 para estudar português em Campinas (SP). Em 1971 mudei para Cianorte (PR) e fui convidada a dar aulas no Instituto Bíblico Cristão Presbiteriana onde morei e lecionei até 1979. Em 1975 fiz uma viagem com a JOCUM para África e um aluno recém-formado do Instituto Bíblico foi como missionário para Mocambique, onde sofreu o impacto da revolução marxista e foi preso por 10 meses. Quando voltei para Cianorte ele ainda estava na prisão e nossa preocupação foi muito grande.
Começamos uma reunião de oração por ele cada dia depois do jantar, com a participação de alguns alunos, principalmente Maria Pires da Luz, Ademar Gaspar e Toni Cerqueira. Estes três fizeram parte importante do início da Missão Antioquia. Com o tempo sentimos que o Senhor nos dirigiu iniciar uma agência missionária, com o nome Missão Antioquia. Começamos um boletim informativo – o INFORMA – e começamos a falar nas igrejas. Nesta altura sentimos muito a necessidade da liderança pastoral, portanto convidamos o pastor Décio de Azevedo e o pastor Jonathan dos Santos, Diretor e Vice-Diretores do Instituto Bíblico. Deus tocou seus corações e o pastor Décio se tornou o segundo presidente da Missão Antioquia (o nosso amigo preso em Mocambique foi nomeado o primeiro presidente em ausência).
A Missão Antioquia cresceu e com o tempo o pastor Jonathan foi eleito presidente. Mudamos para Londrina e depois para São Paulo. Quando a liderança decidiu comprar o Vale da Benção eu senti que Deus me direcionou a ficar em Santo André (SP), onde eu estava morando e participando no Primeira Igreja Batista de Santo André. Fiquei colaborando com o pastor Edison Queiroz de 1981 até 1991 quando fui convidada a ajudar uma congregação de Primeira Igreja no seu programa de missões. Fiquei nesta igreja, Primeira Igreja Batista de Jardim Elba, em São Paulo, por mais oito anos felizes.
Após a saída da Missão Antioquia, fui convidada a começar o departamento de missões na Faculdade Teológica Batista de São Paulo em Perdizes. Planejamos o currículo, professores e programa. Passei quase 15 anos dando aula e participando nos cursos de missões no nível de bacharel e mestrado. Em 1988 conclui meu doutorado no Seminário de Trinity (Trinity Evangelical Divinity School, em Chicago, Illinois), algo que contribuiu muito para meu preparo para esta tarefa gostosa de lecionar matérias missiológicas.
Uma outra atividade importante para mim foi o trabalho do COM (Comissão de Orientação Missionária), da AMTB, que lidava com o treinamento de missionários. O COM começou em 1984 em Belo Horizontes (MG) e se tornou a Associação de Professores de Missões no Brasil (APMB) em 1992, com Timóteo Carriker como o primeiro presidente. Neste momento aceitei a responsabilidade de ser a secretaria executiva, posição que assumi apenas depois de um ano e meio cuidando da minha mãe nos Estados Unidos e viajando com a WEF (World Evangelical Fellowship, agora WEA – Aliança Evangélica Mundial), que tinha me convidada para fazer parte da sua Comissão de Missões na área de treinamento.
Continuei com a APMB e a Faculdade Batista ate 1999 quando aceitei um novo desafio – ajudar a Missão Juvep em João Pessoa (PB) desenvolver sua nova escola de preparo missionário. A escola tem quatro cursos efetivos, o principal sendo o Curso de Preparo Missionário (CPM) que é um ano intensivo no nível pós graduado. Temos o CAM que e aperfeiçoamento, para pessoas na região que querem aproveitar os professores e matérias, e a especialização (CEM) que pode ser completado com uma dissertação e tarefas extras. No momento estamos começando um novo programa em conexão com a escola – o Projeto Radical Sertão. Inclui seis meses de treinamento intensivo e um ano vivendo na zona rural do Sertão onde menos de 0,1% das pessoas são evangelizadas. Este programa começou em Julho de 2007.
A maior parte destes 38 anos no Brasil* tem sido trabalho com o movimento emergente brasileiro de missões, onde tenho visto milagres e onde tem surgido preocupações. Em Abril deste ano participei do PROCLAMAI da Junta de Missões Mundiais e Nacionais da Convenção Batista Brasileiro. Vi claramente que esta completando um circulo. Antigamente eramos um punhado de estrangeiros ensinando sobre missões; agora são bastante brasileiros experientes e vibrantes que estão comunicando e ensinando.
Quem sabe estou no último capítulo da minha jornada como missionária no Brasil, mas com alegria posso declarar que tem sido maravilhoso participar com tanta aventura e tanto gozo em ver o Senhor levar as igrejas cumprirem seu papel como igrejas enviadas por Jesus a alcançar todos os povos, tribos, línguas e nações. Há muito ainda a fazer, mas Deus está realizando a Sua obra com fidelidade e poder. Gracas a Deus, a Sua palavra, Seu amor e Seu Evangelho esta sendo levado as nações.
A drª Bárbara Burns é missióloga norte-americana. Secretária Geral da Associação de Professores de Missões no Brasil e Diretora Acadêmica da Escola de Missões Transculturais da JUVEP. Possui Mestrado em Missões pelo Seminário de Denver, Colorado, e Doutorado pelo Trinity Evangelical Divinity School, Deerfield, ambos nos EUA
* A missionária tem hoje (2015) 46 anos.

 

One Comment

  1. José Batista de Oliveira

    Serva do Senhor. Foi minha professora em Cianorte em 1973. Dedicada e temente a Deus

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.