A morte e a ressurreição de Jesus Cristo constituem o maior marco missionário da história, pois Jesus tinha uma missão clara: “O Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” – (Lucas 19:10). Ele fez o que só Ele poderia fazer para concretizá-la, e nós somos os responsáveis pela sua continuidade:

1. Jesus foi à cruz para conduzir-nos a Deus (1 Pedro 3:18), o véu foi rasgado e Ele abriu-nos o caminho de volta aos braços do Pai.

2. Depois da sua morte na cruz, Ele foi e pregou aos espíritos em prisão que há muito tempo desobedeceram. (1 Pedro 3:19 e 20)

3. No domingo da ressurreição, à “noite”, o Cristo vivo aparece pela primeira vez aos discípulos reunidos e diz-lhes claramente:“Paz seja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu os envio”-  (João 20:21). Em Lucas 24: 45 a 49 lemos: “Então lhes abriu o entendimento para que pudessem compreender as Escrituras. E lhes disse: Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas. Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder ao alto.”

Quarenta dias depois, ao subir aos céus, Jesus reitera a Grande Comissão em Mateus 28:18-20! Ele não tinha outra agenda. Ele não tem outra agenda!  Que nesta Páscoa os nossos entendimentos sejam iluminados para ajustarmos as nossas agendas com a agenda missionária do nosso Senhor e Salvador, pois é “impossível abraçar a Jesus sem abraçar a Sua causa.”

Que assim seja!

Fonte: Conexão Vida Nova

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.