A brasileira Camile Guarino Porto, de 28 anos, que é moradora de São Roque (SP) mas está há cinco meses trabalhando em uma ONG de Katmandu, capital do Nepal, contou em entrevista ao G1 que ‘está todo mundo em choque’ depois que o país foi atingido por mais um forte terremoto nesta terça-feira (12), de magnitude 7,3.

“Hoje, infelizmente, mais um tremor balançou muito aqui, muito mesmo. As pessoas desesperadas agora na rua, porque já teve o primeiro forte, esse foi o segundo forte, mas muito forte mesmo. Todo mundo em choque, na rua, muito grito, desesperando, correndo”, comentou Camile, filha da missionária Violeta Guarino, que relatou a vida dos missionários no Nepal com exclusividade para o Radar Missionário. Veja o testemunho de Violeta Clique Aqui

camileGoverno solicitou que todos usem máscaras pelas ruas de Katmandu (Foto: Arquivo Pessoal/Camile Porto).

No momento do terremoto, a brasileira estava em casa, que não chegou a ser danificada pelo abalo. No entanto, ela relata que há muitos estragos na região. “Na minha rua nenhuma casa foi atingida, mas em volta há muita destruição de novo”, lamenta.

Camile conta que agora teme pelas casas que já estavam danificadas depois do primeiro terremoto, de magnitude de 7,8, no dia 28 de abril. “Agora eu fico pensando o que será que vai acontecer? Tem chovido muito e hoje passamos por mais esse tremor forte. Realmente, precisamos de muita oração e ajuda”.

Risco de contaminação

Desde o primeiro terremoto, a brasileira conta que o governo solicitou que os moradores usem máscaras ao andar pelas ruas de Katmandu devido ao grande risco de contaminação. “Há um enorme risco por causa das bactérias dos inúmeros vestígios de corpos em estado de decomposição”, explica.

Por conta dos últimos acontecimentos no país, Camile pensa em antecipar o seu retorno ao Brasil, que estava previsto somente para o dia 31 de maio. “Meu visto vence no fim do mês, mas diante dessa situação, estou pensando seriamente em voltar já na próxima semana. Meu psicológico não está nada bem”, desabafa a brasileira que garante que quer ajudar as pessoas necessitadas, mas que realmente não tem mais “estrutura” para ficar no país.

Novo terremoto

Pelo menos 38 pessoas e 1.066 ficaram feridas depois do segundo forte terremoto que atingiu o Nepal nesta terça-feira, segundo a agência de notícias Reuters. Prédios e estruturas que estavam danificadas pelo terremoto de 25 de abril – que matou 8 mil pessoas no país – colapsaram.

Ainda acordo com a Reuters, cinco pessoas morreram em Sindhupalchowk, distrito a leste da capital Katmandu, outras seis morreram em Dolakha, região perto do epicentro. Ao menos três foram mortos na capital e cinco morreram na região da Índia. Além disso, um homem morreu atingido por pedras no Tibete chinê.

O país ainda não se recuperou do potente sismo de abril. O forte tremor matou mais de 8 mil pessoas, deixou mais de 17.800 feridos e destruiu milhares de imóveis e monumentos. A destruição foi tamanha que o Nepal ainda continua contando mortos e buscando por desaparecidos.

O terremoto desta terça sacudiu o acampamento base para o Everest. Foi registrado a 68 km a oeste da cidade de Namche Bazar, perto do Monte Everest. Ondas de choque foram sentidas em todo o norte da Índia e em Bangladesh.

Fonte: Portal G1

One Comment

  1. Pingback: Após mais um terremoto no Nepal, missionária decide deixar o país asiático | Fast News Gospel

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.