O Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo desde quando foi anunciado pela primeira vez no Brasil, encontrou um solo fértil assim como descrito na parábola apresentada pelo Mestre aos seus discípulos, onde ele disse que a semente “…caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta…” (Mt 13.8).

É inegável a realidade do crescimento numérico de evangélicos em terras brasileiras que hoje já alcança mais de 26% da população. Muitas vidas têm sido libertas e transformadas pelo Senhor de forma tal, que o Brasil se tornou um celeiro missionário, enviando mensageiros do Evangelho a várias nações.

O crescimento das Assembleias de Deus no Brasil

A maior igreja evangélica do país e a que mais cresce é a Assembleia de Deus. Vale salientar que esse crescimento é o resultado dos ensinamentos bíblicos implantado pelos missionários que foram pioneiros na fundação dessa igreja em solo brasileiro, a saber: Daniel Berg e Guna Vingren, posteriormente sucedidos por pastores brasileiros. Estes heróis da fé, deram continuidade a grande missão que foi dada por Jesus aos seus discípulos. Desta forma, os membros dessa grande denominação se espalharam pelo Brasil, supervisionados por seus pastores e anunciaram a mensagem salvífica de forma indistinta, levando a semente do Evangelho em todo o território brasileiro.

Em Pernambuco não foi diferente, pois, o projeto divino para a evangelização do mundo contemplava o estabelecimento de uma igreja em solo pernambucano. Esta convicção se fundamenta na história da igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pernambuco, uma trajetória de fé e combates espirituais, pontuada por testemunhos de milagres, conversões e manifestação do poder do Espírito Santo, como fruto de oração e do evangelismo.

Este trabalho foi fundado pelo missionário Joel Carlson, obreiro enviado pela Igreja de Estocolmo, na Suécia que se entregou sem medidas ao trabalho evangelístico em Pernambuco. Depois  vieram pastores como o Pr. José Amaro e o Pr. José Leôncio da Silva que estiveram a frente da igreja pernambucana, promovendo uma conscientização evangelística no estado e da Obra Missionária Transcultural, respectivamente. Hoje, através do Pastor Presidente, o Pr. Ailton José Alves, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pernambuco continua avançando. A igreja tem chegado a todos os municípios do Estado e grande avivamento tem acontecido ao longo desses anos. O trabalho evangelístico também é realizado através da Rede Brasil de Comunicação, que por rádio, televisão e internet anuncia a Salvação em Cristo Jesus, fazendo com que milhares de vidas sejam alcançadas. A igreja também tem anunciado o Evangelho diariamente através das Cruzadas Boas Novas, além das dezenas de concentrações evangelísticas realizadas semanalmente em diversos bairros. O evangelismo pessoal é a marca principal dessa Igreja, porque milhares de crentes, diariamente anunciam que só Jesus Cristo é o Senhor.

Porém, apesar do crescimento numérico de evangélicos em todo o território nacional, devemos compreender que poucos brasileiros na atualidade se dedicam a Obra Missionária e as atividades de evangelismo, negligenciando a responsabilidade de ir mais adiante. Há, portanto, ainda muito por ser feito, é necessário a igreja brasileira estar bem inteirada acerca dos desafios missionários da atualidade, e atuarmos de forma mais evidente nas atividades doméstica de evangelismo.

Quem são os menos evangelizados no Brasil?

O Brasil é o quinto maior país do mundo em extensão territorial, com uma população de aproximadamente 210 milhões de habitantes, onde 96% da população é considerada religiosa. Encontramos neste país um número muito elevado de diversas religiões, e por isso, o Brasil se encontra diante de muitos desafios espirituais. A nossa nação aparece no quadro mundial liderando o ranking nas estatísticas referente a adeptos do catolicismo, de espíritas e é o 2° país no mundo de pessoas que professam pertencer as Testemunhas de Jeová. Ainda temos em nossa nação mais de 1 milhão de muçulmanos, distribuídos em 500 mesquitas em todo o Brasil, e a sua capital, Brasília, é considerada a capital mundial do esoterismo. Vejamos ainda outros desafios para a evangelização no Brasil:

1. Indígenas:

Acredita-se que no Brasil em 1530 havia 1,5 milhão de indígenas, enquanto hoje eles não passam de 400.000 em todo o território nacional. Estes estão divididos em cerca de 251 etnias distintas representando mais de 180 línguas diferentes. Dentre estas etnias, apenas 26 possuem o Novo Testamento completo traduzido em seus idiomas e outras 59 possuem porções, entretanto, mais de 120 tribos necessitam urgentemente de uma tradução das Escrituras. Vejamos alguns desafios para a evangelização dos indígenas brasileiros:

1. Tribos conhecidas: 218 (população: 353.881);

2. Tribos isoladas: 33 (população: 1.853);

3. Tribos a serem pesquisadas: 50 (população estimada: 2.735);

4. Tribos com existência duvidosa: 48 (população: 2.217);

5. Total de tribos existentes: 349 (população: 360.686);

Estima-se que há 117 etnias sem presença missionária e sem o conhecimento do Evangelho. Estas etnias, com pouco ou nenhum conhecimento de Cristo, estão espalhados por todo o Brasil com forte concentração no Norte e Nordeste.

 2. Ribeirinhos:

Na bacia amazônica há 37.000 comunidades ribeirinhas ao longo de centenas de rios e igarapés. As pesquisas mais recentes apontam a ausência de igrejas evangélicas em cerca de 10.000 dessas comunidades.

3. Ciganos:

Os Ciganos espalham-se por todo o território nacional nas grandes e pequenas cidades, vivendo em comunidades nômades, seminômades ou sedentárias. Brasil possui cerca de 800 mil ciganos que carecem de evangelização e muitos deles estão localizados em assentamentos de 291 cidades brasileiras. Os ciganos dividem-se em três grandes grupos: Sinti, Rom e Calon.

A grande parte desse povo está concentrada, principalmente, no litoral das Regiões Sul, Sudeste e Nordeste. O estado da Bahia destaca-se por conter o maior número de grupos ciganos. Este grupo representa um número significativo na população brasileira e o trabalho de evangelização de ciganos é muito necessário.

4. Imigrantes:

Há mais de 100 países representados no Brasil por meio de imigrantes e 27 dessas nações, que aqui estão presentes, são países onde não há plena liberdade para o envio de missionários ou da pregação do Evangelho. Por isso, é difícil enviar missionários para esses países que estão  entre nós, com colônias sobretudo em São Paulo, Brasília, Foz do Iguaçu e Rio de Janeiro. Há entre nós muitos imigrantes que se encontram negociando e estudando. Estes precisam ouvir que Jesus Cristo é o Senhor. Destacamos a chegada de muitos estrangeiros por motivo da situação política internacional que tem provocado um deslocamento de muitos povos através dos refugiados.

5. Surdos, com limitações de comunicação:

Há mais de 9 milhões de pessoas nesta categoria em nosso país e menos de 1% se declara evangélico.

6. Os mais ricos dos ricos e os mais pobres dos pobres

Os extremos socioeconômicos dividem-se em dois: os mais ricos dos ricos e os mais pobres dos pobres. As últimas pesquisas nacionais demonstram que a presença evangélica é expressiva nas escalas socioeconômicas que se encontram entre os dois pontos, porém, sensivelmente menor nos extremos. Em alguns Estados brasileiros há três vezes menos evangélicos entre os mais ricos e os mais pobres do que nos demais segmentos socioeconômicos. As populações concentradas verticalmente em edifícios fechados, os condomínios, hoje, são quase inalcançáveis com a mensagem evangelística. Outro desafio é o excesso de entretenimento que bloqueia a evangelização desse grupo. Por conseguinte, o outro extremo encontra-se desafiado pelas muitas modalidades de crimes que tem se manifestado, pelo envolvimento com drogas, com a prostituição e a escassez financeira.

Motivos de oração:

Diante de tamanha realidade, devemos orar ao Senhor pelo Brasil:

1. Orar por um despertamento na evangelização das famílias;

2. Orar para que os dons espirituais continuem evidenciados através da pregação;

3. Orar para que as forças do inimigo que investem contra a igreja sejam neutralizadas;

4. Orar para que a igreja alcance os lugares inacessíveis;

5. Orar para conversões de vidas.

REFERÊNCIAS

1. Manual de Intercessão, PráMidia publicações, p.14-1998. Revista IDE – nº 22, p. 06 – 1999.

2. Departamento de Assuntos Indígenas da Associação de Missões Transculturais do Brasil.

3. pesquisa da Aliança Evangélica Indígenas do Nordeste e AMTB.

4. Reconhecidas pelo IBGE 2012.

5. Projeto Fronteiras – Associação Evangélica Pró Ribeirinhos do Brasil.

6. Missão Amigos dos Ciganos – Associação Evangélica Pró Ciganos do Nordeste

7. Missão JUVEP

8. Fundação Palmares.

9. Pesquisa em andamento pela Associação Evangélica Pró Quilombolas do Brasil.

10.  IBGE 2012:

11. IBGE 2014.

12. IBGE 2010, 2012 e 2014.

13. Projeção de dados quantitativos por categoria socioeconômica.

14. https://sites.google.com/site/embuscadaovelhaperdida/dados-sobre-missao-evangelistica-no-brasil-e-no-mundo

15.  www.mntb.org.br

16. www.infobrasil.org

17. www.brasil21.org.br

 

Fonte: AD Pernambuco

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.